quinta-feira, 12 de abril de 2012

Reconhecendo nossa INTELIGÊNCIA

Continuando nosso estudo Inbound, essa semana o tema é a INTELIGÊNCIA. Lembra quando conversamos sobre a MENTE?

A inteligência é o próximo degrau, é mais refinada que a mente. A função dela é discernir através de um critério. Tomando como exemplo a apreciação de uma obra de arte, como tratamos na semana passada, a mente expressaria sua opinião através dos opostos “gosto” ou “não gosto” / “me serve” ou “não me serve”. Já a inteligência trabalha com critérios, então ela pensaria assim: “porque o pintor se expressou dessa maneira? Que experiência o inspirou? Porque? Como eu faria?” 


A inteligência em sânscrito é chamada BUDDHI. Buddha é assim chamado porque significa “o ilmunidado”. Ele era um rei que viveu com todo o conforto e opulência, não conhecia a miséria material. Um dia ele desejou visitar seu reino e o primeiro que viu ao sair do palácio foi um velho, magro e moribundo. Essa cena foi chocante e o fez perceber que somos temporários e que estamos iludidos. Apos essa reflexão ele foi para o bosque, sentou-se embaixo de uma árvore em postura de meditação e fez o voto de não se mover até alcançar a iluminação. Seu Ele queria descobrir a raiz da ilusão material, do sofrimento. Nesse processo, Maya, a própria Energia Ilusória, aproximou-se e tentou atrapalhar sua meditação. Ela era muito atraente e com muita insistência procurar interromper sua iluminação. Buddha então percebeu que a origem do sofrimento é o DESEJO.
A mente sempre buscar fomentar mais desejos materiais (buscando o conforto, se sentir querido, útil, boa casa, comida e etc) que na realidade são causa de frustração já que ela é obstinada e muito forte. Surge o desejo e no momento seguinte outro desejo e assim por diante... É impossível satisfazer a mente pois ela sempre buscará outro desejo mais intenso... Não é verdade?
Então a inteligência busca através de critérios cercear a mente descontrolada e impor alguns limites. Por exemplo, não é saudável comer muito ou doces a noite. Supondo que a mente esteja fora do controle buscando satisfazer seus sentidos. Com certeza ao ver um delicioso chocolate vai querer comê-lo. É nesse momento que surge a inteligência aconselhando a evitar porque não é saudável comer quando se vai o sol. A inteligência busca manter a harmonia do corpo, do ambiente e também nos relacionamentos. É aquela voz que as vezes escutamos e que sempre nos aconselha.
 E o que a mente e inteligência tem a ver com Yoga? Tudo!


A mente sempre busca o conforto e satisfazer os desejos e a inteligência busca manter a harmonia. Quando praticamos uma asana (postura) talvez seja um pouco difícil, exija concentração, alongamento e resistência... A mente na hora já quer desistir e ir para o relaxamento! Mas a inteligência argumenta que é necessário manter e postura e etc... Simplificando: o Yoga FORTALECE a inteligência fazendo com que ela se desenvolve e possa ser mais forte que a mente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário